Diário de um Recém-ateu

18 de março de 2007

Tudo o que fizermos, dissermos, mudarmos, jamais mudará nosso destino final, nem reterá qualquer significado para nós ou os outros que amamos. Um  dia, mais cedo ou mais tarde, tudo o que somos, realizamos e sonhamos não fará mais sentido para ninguém.
Então por que viver, se o destino é a morte?
Amor fati – ama teu destino!
Carpe diem! – aproveita o agora!
Tudo o que nós somos, realizamos e sonhamos faz sentido agora! E isso é só o que importa!
A vida após a morte – se existisse – seria apenas um triste consolo. E nos privaria da doce irresponsabilidade da deleção completa no futuro.

Espíritas: quando a humanidade finalmente acabar, como ficarão as almas humanas? Vão sofrer upgrade? Ou a teoria espírita exige que a humanidade nunca acabe?

Não acredito em paraíso, céu, prêmio celeste para os justos, mas acredito no inferno: ele existe na cabeça, na mente de pessoas perversas e doentias.

Anúncios

About this entry